sábado, fevereiro 25, 2006

pormenor....



um pequeno repuxo... o som agradável da água banhando as pedras... o registo de um pormenor, como tantos outros...

numa manhã serena de Lisboa...

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Alma de poeta...



Ai as almas dos poetas nas as entende ninguém; São almas de violetas que são poetas também.

.......

sentem o vento gemer....

ouvem as rosas chorar!

(f.e.)

sábado, fevereiro 18, 2006


A tua obrigação
em qualquer momento
da tua vida
é seres fiel a ti próprio...

(r.bach)

por difícil que seja....

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Mar...


Mar........

metade da minha alma
é feita de maresia.

(smba)

domingo, fevereiro 12, 2006

vazio...



No ponto onde o silêncio e a solidão

se cruzam com a noite e com o frio.

esperei como quem espera em vão,

tão nítido e preciso era o vazio...

(smba)

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Poente..


Lutaram corpo a corpo com o frio
das casas onde nunca ninguém passa,
sós, em quartos imensos de vazio,
com um poente em chamas na vidraça.
(s.m.b.a.)

gaivotas??



gaivotas???....

ou apenas...a liberdade de cruzar os céus? a liberdade de ser livre....

a beleza suspensa.... talvez, a insustentável leveza do ser...

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Lisboa



Esta névoa sobre a cidade, o rio,

as gaivotas doutros dias, barcos, gente

apressada ou com o tempo todo para perder,

esta névoa onde começa a luz de Lisboa,

rosa e limão sobre o Tejo,esta luz de água,

nada mais quero de degrau em degrau.

(E.A.)